quarta-feira, outubro 28, 2009

O Deus e a Bíblia de Saramago na SIC-Notícias

Apesar de não dizer nenhuma novidade, ao menos as "bocas" do escritor José Saramago sobre Deus e Bíblia vieram trazer de novo à luz dos média uma temática que precisa de ser mais e melhor debatida.
Entrevistas / debates com personalidades de qualidade científica (teológica, bíblica, filosófica, antropológica, sociológica, etc.) impar no panorâma nacional, fazem falta aparecer nos meios de comunicação social.

A Sic Notícias presenteou-nos com um debate de qualidade fantástica, com um dos maiores biblistas nacionais, o capuchinho Fernando Ventura (que tive a honra e o prazer imenso de ter como antigo professor) e do professor economista José Manuel Pureza. Deliciem-se com o manjar de palavras e sabedoria que Fernando Ventura em 20 minutos apresentou.

Esta é a minha sugestão de reflexão/análise para hoje


Enfim, coisas da vida ...

terça-feira, outubro 27, 2009

Alvin Toffler e a educação

Este escritor futurista norte-americano debate a função e o papel da escola nos dias de hoje.
Um ponto de vista interessante, apesar de polémico.
"Nós não precisamos de reformar o sistema de ensino, precisamos de o substituir imediatamente" - Alvin Toffler citando Bill Gattes.
Não percam este pequeno excerto de 6 minutos.

Enfim, coisas da vida ...


segunda-feira, outubro 26, 2009

Atenção reforçada ao mundo digital

Iniciou-se esta Segunda-feira no Vaticano a assembleia plenária do Conselho Pontifício das Comunicações Sociais (CPCS) ... A reunião magna acontece após o anúncio, em Março deste ano, da intenção de se redigir um novo documento sobre as relações entre Igreja e media.
Na abertura dos trabalhos, o presidente do CPCS, D. Claudio Celli, afirmou ter chegado o momento de “olhar atentamente para a imprensa católica e o mundo da Internet”.
(...)
No Vaticano, por estes dias, debate-se um novo documento para um tempo em que a Igreja não tem necessidade de reivindicar um espaço no mundo dos media, porque tem diante de si, em larga medida, um campo livre, com as novas tecnologias. O texto sobre os novos desafios mediáticos terá como objectivo introduzir a comunicação da Igreja no mundo do digital.

artigo completo aqui na Agência Ecclesia

sexta-feira, outubro 23, 2009

SENHOR, QUE EU VEJA

Este desejo é expresso em público, com voz firme e confiante, por Bartimeu. Dirige-se a Jesus que ia a sair de Jericó a caminho de outras terras. É feito por um cego que estava na valeta, à margem, a pedir esmola.

As suas limitações não o bloqueiam, nem os preconceitos sociais nem a repreensão de alguns acompanhantes de Jesus. O seu gesto manifesta uma “cegueira” lúcida que vê mais longe e uma coragem ousada que rasga horizontes. A sua atitude fica registada como um símbolo para toda a humanidade em todos os tempos.


“Que eu veja, Senhor” – continuam a clamar os que amam, estudam e trabalham pelo progresso que humaniza a vida; os que se dedicam à investigação científica que desvenda os segredos da natureza; os que, incansavelmente e com desvelo, exercem a biomedicina e cuidam da pessoa doente e das circunstâncias em que está envolvida.

“Senhor, que eu veja” - exclamam os que sonham uma ordem política e económica, alicerçada na ética da responsabilidade comum e no destino universal dos bens e querem contribuir positivamente para despertar a consciência social dos cidadãos; os que acreditam na força das organizações e na eficácia das iniciativas que, à maneira de fermento, vão provocando um modo de ser e agir mais humanizados.


“Que eu veja, Senhor” – desejam os que estão constituídos em responsáveis pelo bem público integral e pretendem encontrar vias acessíveis e eficazes para o promover; os que têm a missão de, à maneira de Jesus, procurar as melhores formas de dar a conhecer os valores do Evangelho, de colaborar para que todas as pessoas tomem consciência da sua dignidade e possam caminhar na vida “de cabeça erguida e rosto descoberto”.


Bartimeu, o filho do homem apreciado pela honradez, tal é o significado do seu nome, faz o pedido da visão num contexto de diálogo profundo, depois de aceitar o chamamento e a ajuda que outros lhe ofereciam, de atirar fora a capa do resguardo, de se erguer com vigor e de, confiante, ir ter com Jesus. Gestos humanos indispensáveis para começar a ver com luz nova – a da fé - que enche de alegria, beleza e verdade a vida inteira.


Georgino Rocha

Back to real life

Este post serve somente para avisar que estou vivo, e a restante família se encontra espectacularmente bem!
Depois de 2 meses em que passei:
I. pelo nascimento do meu filhote Vasco
II. pelo acolhimento desse novo membro da família em casa com tudo o que isso implica. Desde a ajuda à mamã que com dificuldade e cansaço vai fazendo um ENORME trabalho, passando pela proximidade que adquiri com o meu Afonsito. Se já eramos unha e carne antes do nascimento do Vasco, agora somos muito mais do que isso.
III. por uns dias de férias em família extraordinários no Algarve, que nos ajudaram a carregar baterias, a viver momentos fantásticos, a nos tornarmos ainda mais cúmplices, a sermos cada vez mais famílias.
Volto outra vez à realidade que também é ESPECTACULAR.
Por isso, volto outra vez à vida activa e à cidadania participativa.

Enfim, coisas da vida ...