quinta-feira, dezembro 02, 2004

«Gays» criticam Bíblia por ofender Constituição

in portugaldiário de 22-11-2004 00:05

«Portugal Gay» contra apoio de figuras do Estado a Bíblia Manuscrita

"O coordenador do portal da internet PortugalGay.pt, João Paulo, criticou, em comunicado distribuído este domingo no Porto, o apoio de altas figuras do Estado à iniciativa "Bíblia Manuscrita", que, em seu entender, ofende a Constituição.
No comunicado, João Paulo considera que o apoio do Estado contraria o ponto 2 do Art.º 13 da Constituição Portuguesa. O ponto citado proíbe toda a discriminação com base em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
«Como editor do portal PortugalGay, todas as semanas recebo mensagens que fazem críticas à homossexualidade com base em referências directas à Bíblia», afirma João Paulo no comunicado.
O coordenador do PortugalGay considera que a Bíblia ofende todas as perspectivas do ponto citado da Constituição e cita como exemplo algumas das passagens, como o versículo 25:44 do Levítico, que em sua opinião apoia a escravidão.
De acordo com o coordenador do PortugalGay, além da discriminação contra homossexuais, outras passagens bíblicas defendem a discriminação com base na deficiência (Levítico 21:17), a pena de morte (Deuteronómio 17:2), desprezo pelos direitos da mulher (Deuteronómio 24:1) e a intolerância religiosa (Deuteronómio 12:2).
A iniciativa "Bíblia Manuscrita", que decorreu em 22 cidades do país e é promovida pela Sociedade Bíblica Portuguesa, terminou este domingo, no Porto, com o primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, a transcrever os últimos três versículos do Livro do Eclesiastes.
O Presidente da República, Jorge Sampaio, marcou o arranque desta iniciativa no último dia 6, em Lisboa, transcrevendo os primeiros versículos do livro sagrado."


Mas o que é isto? desde quando os homosexuais, agora com o nome ponposo de "gays", têm o direito de colocar em causa a palavra de Deus? Claro está, que nem eles nem ninguém, mas por favor, digam a estes senhores e senhoras que antes de falar temos de conhecer a fundo o tema em causa, porque senão, caímos no rídiculo de criticar algo que se for devidamente analisado não tem razão nenhuma. O que faz com que a causa desse agora tão badalado e em voga movimento, fique um tanto ou quanto abalada. Pois com afirmações bombásticas do género, claro está que depois não tenham nenhuma credibilidade em sectores da sociedade que ainda sabem ler a vida ao longo da história. Eu respeito as orientações sexuais de cada um, no entanto este movimento não pode querer passar a imagem de que são iguais ao mais comum do heterosexual, no aspecto sociologico e comunitário. Não venham pedir a legalização do casamento, muito menos a adopção de crianças pois os valores que até agora estavam (ainda) enraízados estão a ser postos em causa. Por um lado ainda bem, dado que obriga aos defensores das referidas causas a esgrimirem-se, se calhar a repensarem a sua maneira de agir e acima de tudo a não se deixarem ficar acomodados no seu sofá em casa ou com a sua vidinha.

Voltarei em breve a este assunto

Enfim coisas da vida !!!

1 comentário:

Paulo disse...

Qualquer dia ainda vão pedir para a Biblia Sagrada ser alterada...só mesmo num mundo quase caotico