sexta-feira, novembro 24, 2006

RECOMENDO: Lavrar o Mar


Caros amigos(as) "virtuais",
num destes dias por mero acaso estava a ouvir a televisão, e a minha atenção parou por uns instantes numa entrevista que estava a ser transmitida, com o autor do livro a que faço referência, Dr. Daniel Sampaio, precisamente a temática em debate era a do seu novo livro "Lavrar o mar".
De seguida transcrevo algumas frases "soltas" que retirei. Acho que são de um enorme valor e podem e devem ser alvo de um debate profundo na nossa sociedade, nomeadamente na Igreja que se debruça muito especialmente sobre a problemática familiar.
Comecei à pouco tempo a leitura deste livro, quando acabar de o lêr, depois darei a minha opinião mais fundamentada.
Aqui ficam então algumas afirmações relevantes e bastante interpeladoras:
Começou por afirmar o seguinte:
Menos pedagogia e mais educação, e eu contribuí um pouco para essa teoría "contrária" ao que agora defendo.

Falando acerca da oferta de PRESENTES:
Um filho quando passa de ano não deve receber nenhum presente, dado que não faz mais do que a obrigação dele. Não dar presentes em excesso é essencial. O filho tem de sentir a falta de que nem tudo aquilo que pretende tem.

Falando acerca da oferta de CASTIGOS:
Os castigos nunca devem ser físicos, mas sim retirar algum previlégio que o filho goze e disfrute. Sempre aplicado na hora e não do género "para a próxima vez é que vai ser ...".
A situação de castigo deve ser perceptível pelos filhos, ou seja, explicando o porquê de não o deixar vêr tv, playstation, computador, etc.
Nunca se deve afirmar que tu és mau, etc.
Porque eles necessitam do amor dos pais, nunca se deve rebaixar os filhos.

Falando acerca da oferta de PSICOLOGOS:
Levar os filhos ao psicólogo / psiquiatra é claramente estar a empobrecer os pais.
Estes espaços devem ser somente reservados para pessoas efectivamente doentes, situações essas que são raríssimas.
Ao mínimo conflito / problema / entrave levar o filho ao psicólogo é muito mau, os pais não se podem demitir da sua função educadora.
Na grande maioria dos casos os pais são capazes de resolver os problemas, a família (pais e avós) são a base da resolução de todos os problemas.
A família é o centro de tudo e é fundamental.

Falando acerca da oferta de PAPEL DOS PAIS:
Os pais actualmente são muito inseguros da maneira como desenvolvem a sua educação.
Os pais antes de dar presentes, devem é dar "miminhos" isso sim é fundamental.
Não há pais perfeitos, atenção!
Não há receitas, todos os pais erram e é necessário perceber que os erros são corrigíveis.
As regras da casa devem ser sempre mantidas, nunca devem existir excepções, porque só vão criar situações excepcionais.
* in SIC - programa "Fátima Lopes" do dia 17 de Outubro de 2006 (11h50m)
enfim, coisas da vida ...

1 comentário:

RPM disse...

olá.....

pois...pena que as ideias defendidas e agora vistas como menos correctas não são observadas por todos os outros intervenientes....

porque de desculpas o Inferno está cheio...acssim se diz!!!

abraço

RPM