quinta-feira, dezembro 16, 2010

O Natal não é quando um homem quiser... e ainda bem

Este artigo da Helena Matos do jornal público de hoje 16 de Dezembro, fez-me de facto reflectir nos presentes que recebemos e que na realidade as meias, os lenços e as cuecas, já raramente fazem parte do "sapatinho". Consequentemente, fiquei com enormes saudades dos meus avós!
Hoje, este "post" é dedicado à minha avó Caçola, à minha avó Ascenção ... obrigado pelas meias e cuecas que me foram dando ao longo dos anos!

Enfim, coisas da vida ...

O Natal não é quando um homem quiser... e ainda bem by Helena Matos - Jornal Público de 16/12/20010

Não sei quando começou esta mania de que o Natal é todos os dias. Era mesmo o que nos faltava! O Natal só é Natal porque é só uma vez no ano. Em boa verdade se às vezes se pudesse fazer de conta que em vez de ser para a semana era para o mês que vem, dava um jeito tremendo. Nesta fase do quase Natal, como de costume ainda não tenho presépio, as compras estão por fazer e este ano, para cúmulo, não arranjo açúcar. Imaginar este desassossego todos os meses é um exercício de masoquismo só comparável aos anúncios de Natal que pretendem ter graça, como aqueles que este ano viraram as suas atenções para as peúgas. Coitadas das peúgas que estão definitivamente out, face aos telemóveis que estão in.
Para lá da óbvia questão sobre o quanto gastarão em presentes as pessoas que fazem estes anúncios existe um outro dado a ter em conta quando se faz ironia sobre os presentes de peúgas: não só fazem falta como o primeiro sinal de que estamos a envelhecer nos chega naquele Natal em que já não existem as pessoas que até então nos enchiam de meias de lã, luvas e pijamas muito aconchegados. Ou que nos faziam pegas coloridas com o fio com que nos cafés selavam os embrulhos das caixas de bolos. Telemóveis há muitos e renovam-se com facilidade. As tias, avós e madrinhas (são sempre mulheres, não é?) que nos dão peúgas é que desaparecem e não têm contrato de substituição.

2 comentários:

DE MÃOS DADAS disse...

Ainda bem que visto desta maneira não é natal todos os dias.
Feliz Natal

Felipa disse...

Há muito tempo que quem me dava meias já partiu, mas o ano passado recebi umas bem quentinhas e lembrei-me de tantas coisas...