segunda-feira, fevereiro 04, 2008

[Dias Positivos] - Ali ao lado.

Dizem que a identidade portuguesa afirmou-se em oposição a Castela. E que de lá, nem bom ares, nem bons maridos ou esposas, a julga pelo ditado. Mas saber o que passa no país vizinho ajuda a entender o nosso, muito mais do que o que se passa na França, que durante séculos foi o ideal dos intelectuais lusos, ou na cultura de língua inglesa.
E nada melhor para saber o que se de passa para lá de Vilar Formoso do que ler jornais espanhóis, coisa que faço a um ritmo semanal, para ver se os ares mudam.Ora, por estes dias, em vésperas de eleições legislativas, o tema do aborto anda na rua. Muito pouco, a julgar pelos manifestantes que apareceram nas rua de Madrid e Barcelona, no dia 23 de Janeiro, mas o suficiente para um jornal português atribuir à notícia uma página, enquanto atribuíra apenas umas linhas à manifestação de 2 milhões de pessoas, em Madrid, a favor da família. No jornal espanhol que leio à quinta-feira, escrevia-se: “Fracaso de la movilización apoyada por el PSOE a favor del «aborto libre y gratuito»”. O jornal português parece que viu o que não viram os espanhóis.
Já que falamos deste tema, quando se aproxima o primeiro aniversário do referendo, refira-se que em Espanha a imprensa mostrou que há clínicas a fazerem abortos de fetos de sete meses...Convém estarmos atentos à Espanha. Os países pequenos andam sempre a reboque dos vizinhos grandes.

Jorge Pires Ferreira - Director-adjunto do semanário
Correio do Vouga
[imagem Cartoon ] fonte: http://bocadosdegente.blogspot.com/

Sem comentários: